DISPOSITIVO SENSOR PARA VAPORES DE ETANOL E METANOL PREPARADOS COM TINTAS CONDUTORAS AQUOSAS DE POLI(3,4-ETILENODIOXITIOFENO) (PEDOT), POLI(ESTIRENO SULFONATO) (PSS) E ÓXIDO DE GRAFENO (GO)

PI0536_BR1020200124978
Imagem meramente ilustrativa.

O que é

A invenção se trata de dispositivos sensores para detectar vapores de etanol e metanol. A camada ativa responsável pelo sensoriamento é formada por tintas condutoras aquosas de poli(3,4-etilenodioxitiofeno) (PEDOT), poli(estireno sulfonato) (PSS) e óxido de grafeno (GO), que são sensíveis aos vapores.

Foram exploradas diferentes tintas, sendo duas delas feitas com PEDOT:PSS comercial e duas delas com PEDOT sintetizado quimicamente, uma das tintas de PEDOT:PSS e uma das tintas de PEDOT foram obtidas misturando-se os respectivos polímeros com dispersão aquosa de GO. As tintas foram depositadas em eletrodos interdigitados e secos a temperatura ambiente. A exposição aos vapores promove variação na resistência elétrica dos sensores e essa mudança é a resposta dos sensores. Essa variação é reversível para todos os sensores, que podem ser reutilizados e usados por tempo prolongado.

Disponível para

Licenciamento

INFORMAÇÕES DA PATENTE

NÚMERO: BR1020200124978

STATUS: Depositada em 19/06/2020

TITULARES: Universidade Federal do Paraná

AUTORES: Matheus Felipe Fagundes das Neves, Lucimara Stolz Roman, Leila Seleme Mariano Alves, João Paulo Vita Damasceno, Osvaldo Donato Lourenço Junior e Aldo José Gorgatti Zarbin.

CLASSIFICAÇÃO INPI: C – Química; Metalurgia

PALAVRAS-CHAVE: Vapores de etanol, Tinta condutora aquosa, Polímeros.

Rolar para o topo